sábado, 9 de julho de 2011

Pequenas Mortes

Você, que tão perfeito é, não sabe o que é morrer.

Morrer de rir, morrer de morrer, ou de amor ou de tristeza. Morrer seja lá pelo que for.

Aprenda; morrer as vezes pode ser bom, depende do que você quer morrer.

Eu já morri de rir, e disso fui feliz em morrer. Porém já morri de amor e essa morte, posso dizer que me fez sofer.

Com ela aprendi que morrer pode ser tão ruim quanto bom.

Morro quase todos os dias com meus amigos, morro de felicidade e de prazer (prazer em saber que posso contar com eles que meus amigos dizem ser).

Mas, e você?

Tu que tão perfeito é, só pensa em você, e se esquece de viver & morrer. Não sabe o quanto bom é amigos ter, ou como amar pode ser divertido mesmo tendo que morrer.

Feliz é aquele que morreu de amor, pois soube ao menos o que alegria pode ser.

Mas, e você? Que de tão perfeito se esquece que o mundo é feito de milhões e não só de você.

Bom, lembre-se; amar é morrer, viver é morrer. Pois a cada dia que passa um pouco de nós morre e uma parte nasce, resnace, tanto faz.

O que faz a diferença não são os GRANDES acontecimentos, já que na verdade não existe nada que já seja GRANDE. Tudo vem do que é pequeno, grandes atitudes vem de pequenos gestos. Um grande dia, vem de pequenos momentos, e uma grande pessoa, vem de pequenas ações.

Enfim, Senhor que acha poder ser maior que todos, você não é grande, você não é nada. Você é aquele que nos dias frios se deita sozinho para dormir, que come sem compania, e chora sem ninguém.

Mas não precisa ser sempre assim, seja pequeno, e cresça aos poucos, com um amigo, um telefonema, um ''bom dia'' e verá que tudo que é pequeno também é bom.

Ah, não se esqueça, morra de vez em quando, e viva sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se gostou & estiver com vontade; comente.