quinta-feira, 21 de junho de 2012

For Hard Days


Tudo está maravilhosamente bem, sua vida caminha exatamente para onde você a tem direcionado... E de repente, BUM, tudo vira de cabeça para baixo.
Você tenta se controlar, tenta manter a calma, refaz seus planos e pensa no lado bom de tudo isso... Porém nada adianta, você quer chorar, você precisa fugir, sumir, desaparecer, nem que seja por algumas horas, ou minutos: você e você.
Eu já passei por isso, não se preocupe! Eu fico com você... Conte-me seus segredos, me diga o que planeja fazer. Pare de andar em círculos e sente-se um pouco, tudo uma hora tende se resolver. Afinal, se nossa alegria não é eterna, porque a dor haveria de ser?!
Mesmo que te falte um pedaço, não desista, prevaleça até o fim... O mais importante não é a chegada e sim, o caminho percorrido; os lugares por onde você passou para chegar até aqui.
E se você pensar em desistir; ligue sua música favorita, coloque sua melhor roupa e grite, cante, extravase, lembre-se do seu objetivo e acredite nele... Depois siga em frente!
Ninguém disse que seria fácil, mas mesmo sendo tão difícil assim você só precisa seguir sem se entregar à dor, ao cansaço, as preocupações. Você é forte, e sei que seu travesseiro não irá se importar de te consolar, de te enxugar as lagrimas, afinal ser forte não significa que você não pode se machucar e sim, que você não pode desistir. 
 

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Desabafo de uma Fraca


Estou cansada de ouvir o que devo fazer, não quero mais ter que me esforçar tanto pra depois ouvir que ainda não foi o suficiente que eu ainda preciso melhorar muito.
Pra que me dão um problema, se ao tentar resolve-lo ele é tirado de mim com a justificativa de que eu ainda não sou matura para resolvê-lo.
Vocês se importaram quando eu chorei? Perguntaram-me se eu era forte o bastante para passar por tudo que passei? Alguém ai na multidão me estendeu uma mão amiga quando eu mais precisei?
Vocês que julgam tiveram suas próprias oportunidades, por isso não entendo o motivo de me apedrejarem agora. Gostaria de saber se alguém vai trabalhar por mim, ou se quando eu estiver muito cansada vocês farão meus trabalhos escolares... Bom, creio que não, mas mesmo assim continuo ouvindo “você é muito nova” ou “você precisa trabalhar” e até (mesmo sendo loucura) “tadinha, melhor você só estudar”...
Cansei disso tudo! Se vocês que irão escolher, decidam: Eu trabalho ou só estudo? Eu posso sair, ou devo ficar em casa? Não se acanhe, agora eu que peço ‘me diga o que fazer’.
Trabalho desde os 15, e próximo aos 17 sou demitida por culpa de outra pessoa, eu procuro emprego, mas não encontro nenhum. Decido ficar em casa uns dias e quem sabe viajar (uma semana assim que as aulas acabarem) e hoje quando acordo tenho que ouvir “Vem me ajudar, já que você não vai fazer nada hoje mesmo”. Duas semanas sem emprego e tenho que ouvir isso... Tive vontade de chorar, mas não o fiz, pois com a fama de Gênio Forte, Monstro, Estressada se eu ainda fosse novamente a chorona da família, eu acho que iria me matar.
Se você não quer que eu vá, me diga! Pois, do adianta o poder da escolha se depois você vai me castigar. Eu confio em você e por isso aproveitei ao máximo meu pedaço do paraíso, eu sabia que tudo ia piorar; casa, limpeza, escola, a procura do novo emprego. Eu só quis, sei lá, estender meu feriado particular e veja no que deu, você disse sim e agora vem me culpar!
E pensar que me senti culpada por aproveitar meu sonho, sabendo que vocês estavam aqui e eu deveria ajudar. Quero sumir! Quero chorar, gritar, extravasar! Mas eu não posso, porque já perdi sua confiança, e sei lá o que mais você vai falar.
- Pra que tentar ser a melhor, se no final você será como todos os outros? Pra que ajudar se no fim ninguém vai reparar na sua inútil ajuda (mas a única que você pôde ofertar).

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Estranho jeito de amar

Subo as escadas rumo ao sexto andar, olho pela janela e a chuva vem me presentear, é uma bela imagem e me faz lembrar de nós dois em dias assim, juntos sem nos preocupar com nada além de leite quente, cigarros, e um bom filme.
Não tem que ser assim, volta pra cá, volta pra mim! Por que temos que nos magoar? Eu já nem lembro o motivo desse fim e ninguém cede, não pensa em voltar atrás. Será tão frágil nossa ligação?
Quanta bobagem tudo que se falou. Promessas falsas, tanto rancor. Permaneço assim: te esperando, me decepcionando, sobrevivendo por um fio, mas estou aqui, sem desistir. Volta pra mim...
O mesmo roteiro de sempre cansou, nesse jogo, querido, não há vencedor. Não precisa se arriscar, é bem melhor a gente de vez se entregar, pois eu sei que o tempo vai curar esse estranho jeito de amar. Continuo aqui, te amando e te esperando, meu amor, volta pra mim.

                                                                                                             
Baseado na música : Estranho jeito de Amar - Sandy e Junior :)

quarta-feira, 6 de junho de 2012

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Recordações da Gaveta


Olho nossas fotos e me perco em seu olhar, ouço nossa música e tento me lembrar dos momentos bons que passamos antes de tudo acabar. Reviro-me em minha cama, tudo o que eu mais gostava em você volta pra me atormentar, sinto o gosto do seu beijo, mas não consigo recordar... Eu peco nos detalhes e isso começa a me irritar. Qual era a cor da sua camisa no dia em que começamos a namorar? O que exatamente você me disse quando pela primeira vez eu tentei terminar? Droga, eu te amei tanto e agora nem isso eu posso lembrar?!
Sei que assim é melhor, pois eu estou bem agora, isso não posso negar. Mas o fato de pequenos detalhes me deixarem faz meu coração palpitar.
Será que posso te ligar? O que você diria se eu começasse chorar? Por favor, não diga que é drama, não me peça pra voltar! Eu te amei de verdade, e como o primeiro talvez eu sempre vá te amar, porém não posso voltar, eu não quero me magoar.
Disseram-me que você está bem, mas mesmo assim eu queria ouvir sua voz e te dizer, que como amiga sempre estrei aqui, só que você é menino ainda e não sabe valorizar as lagrimas de uma garota que um dia se propôs a te amar, a te cuidar, alguém que prometeu jamais te deixar.
Não quero me prolongar, foi bom enquanto durou, e o que tivemos nunca irá voltar, eu sei que te disse naquele dia enfrente ao mar ‘se for pra ser, será!’ assim hoje chorando sem motivo descobri que não será jamais... Sua vida vai seguir, e talvez você até consiga me esquecer, apenas se lembre de que eu sempre estarei aqui, como sua amiga e sua companheira, pois o que tivemos foi lindo e eu não poderia te abandonar. Pro primeiro amor, deixo meu carinho e as recordações do que valeu a pena!