domingo, 12 de maio de 2013

Mãe


“Mãe”, que palavra estranha... Tão pequena, porém tão significativa. Ela sim é sinônimo de amor, pois ser mãe, mãe de verdade, de corpo e alma é ser amor.

Não apenas isso. Ser mãe não é um cargo simples: é ser amiga, companheira, cabeça aberta, dona de casa, médica, professora e em alguns casos é ser pai também.

Não acredito que viramos mãe quando um filho nasce, na verdade nascemos com isso (esse instinto materno) e quando se sente pela primeira vez aquele ser pequeno e indefeso dentro de nós, aquele depende de nosso amor e carinho esse instinto entra em ação, independente do sexo, independente do rosto, pois o que nos importa é esse ser existir e nada mais.

Esperamos dez meses para segurar esse ser no braço e tenho certeza que são os dez meses mais longos de nossa vida, porém tudo vale a pena quando o vemos; a dor do parto, a dor nas costas, o cansaço, o enjoo... Tudo vira passado e insignificante, quando enfim nos sentimos mãe, quando todos sabem que somos mães e quando podemos enfim abraçar e sentir esse ser em nossos braços.

Bom, depois de tudo isso creio que pensem que sou mãe... Mas não, sou apenas uma filha apaixonada, falando em nome de todos os filhos e filhas que amam sua mãe, sua heroína.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se gostou & estiver com vontade; comente.