sexta-feira, 3 de outubro de 2014

O azul


 
Quando eu olho pro azul vejo meu mundo se quecer, não é como o vermelho, esse faz arder. O azul me encanta, minha alma só de o ver já dança e sei que sou capaz de tudo fazer. Pintei minha cozinha de azul, apenas por medo de esquecer a cor mais linda do mundo que eu amo desde bebê.
Minha mãe sempre me disse que era eu quem escolhia assim, tinha até mais cores pra levar, mas fosse o que fosse era sempre AZUL pra mim :)
Já ouvi que é cor de homem, mas nunca estive nem aí. Não que eu não goste de outras cores, mas é com essa que sempre vivi. Azul, tão lindo Azul, sou apaixonada por ti.

sábado, 20 de setembro de 2014

Delírios de uma garota boa que morreu mulher má

Nessa tarde nebulosa eu conto os minutos gélidos esperando meu amor voltar, não sei direito o que fazer; se eu passar mal (o que sei que acontecerá), se chorar, se morrer.... ninguém virá me socorrer.
Eu fiz tudo por seu amor e agora mal consigo levantar, agora não posso ao menos te abraçar. Seu amor foi maldito e não há mais tempo para recomeçar. Gostaria de ter visto antes o brilho falacioso que esconde seu belo olhar. Você me seduziu, mas a culpa não é apenas tua; eu me deixei levar e me tornei de fato uma mulher má.
Senti-me livre, deixei amigos, vi sofrimento sem me abalar e vivi com você tudo aquilo de que pude aproveitar.... Carros, jóias, viagens. Ah! Que saudade que me dá!!
Agora não me resta nada, a não ser esse cigarro que, por enquanto, tenho forças para segurar.
Oh! Universo, leve-me logo! Já não posso respirar.
Todos os remédios que tomei fazem agora meu mundo girar, vejo sombras, respiro meu passado e o remorso faz-me pirar.
Já fui criança cheia de sonhos confessados ao luar. Também fui adolescente onde nada da certo mesmo quando dá. Tentei ser jovem dedicada e decidida, comecei a trabalhar, era garota inocente com muita garra para ganhar, tinha amigos, tinha tudo... até mulher apixonada eu me tornar. Com você vi outro mundo, vi um luxo sem igual me conquistar, fui mudando, me perdendo e 7 anos passaram até chegar o dia de você me deixar.
Com sua partida meu mundo desmoronou, tudo perdeu o sentido e a cor.
Morte, leve-me logo! Mate-me com sua linda foice! Preciso partir, não importa para onde, só não quero mais viver nesse mundo cruel que eu mesma construí.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Batalha

 
Há algo fervilhando em minha mente e apesar de não saber direito o que é eu me sinto entre a cruz e a espada, entre o céu e o inferno.
Sento-me e começo a pensar: se eu continuar assim, talvez eu nunca mais possa parar.
Por isso aumente o volume! Quero ver tudo neste salão estourar! levanto-me e grito: Aqui é meu lugar e não adianta fustigar, daqui eu não saio, você não vai me derrubar!
Aumente até o último, essa música eu preciso dançar! Ninguém sai desta festa enquanto ela não terminar.
Vocês pensam que me derrubaram, mas num átimo eu me ponho a levantar. Nessa hora o inferno em mim se desfaz e eu começo a levitar, de cima eu vejo melhor e mais alto posso gritar: Aumente! Quero ver tudo em chamas acabar, porque eu já venci algumas batalhas e não será está -não será você- que vai com tudo terminar, minha vida será longa e muitas outras batalhas eu irei lutar.
Eu nasci para isso - para vencer - e se depender da minha força de vontade nunca vou parar!

terça-feira, 20 de maio de 2014

Dia de hoje

Acordo, sinto cheiro de café... Levanto, lavo o rosto e vou pegar o café.
Café gostoso, café fresquinho. Olho para o céu... Nossa, que dia lindo!
Igor venha cá. Cachorro bonito, vamos passear. Uma, duas, três voltas no quarteirão.
Volto correndo, me troco, tranco tudo, pois meu amor saiu cedo e agora eu que vou vazar.  Rezo o “pai nosso” para ficar protegida por Oxalá.

Hoje é um dia lindo e vou trabalhar com fé em Deus! Meu cotidiano é meu céu e sem isso eu não sei ficar. 

domingo, 4 de maio de 2014

É assim mesmo!

As pessoas procuram por dinheiro, por fama, por conforto, por beleza... Porém, se esquecem de que NADA é bom o suficiente se você não tem com quem compartilhar. 
De que adianta toda riqueza do mundo se não temos alguém com sorriso sincero para nos receber quando chegamos em casa? 
De que adianta ser famoso se não podemos falar de coisas bobas, se não podemos rir sem motivo, zoar e se zoado por seus irmãos, primos, pais e etc.? 
De que adianta todo o conforto se não podemos proporcionar este conforto à alguém que amamos?
Ter família é conhecer e ser conhecido sem precisar de palavras, é ajudar sem o  outro pedir e ser ajudado quando todos te viram as costas, pois mesmo que eles só te critiquem ou briguem com você, eles são sua família e nada nem ninguém pode mudar isso!
Família sempre parece chata... Pai, Mãe, Irmãos! Contudo, no fim.... precisamos de alguém para nos abraçar e nos aconselhar, as vezes alguém para brigar conosco. E não tem problema, é assim mesmo: brigamos, discutimos, mas se nos vemos longe daquelas pessoas, sofremos.
Eu sofro! Eu choro! Eu amo minha família... 
No final tudo que eu quero dizer é que SEM VOCÊS NÃO SEI VIVER!!


quarta-feira, 16 de abril de 2014

Um Fernando de Passagem




   

                                                                        
Eu fumava parada em frente ao meu café favorito quando o vi... Ele parecia tão forte e seguro de si que não havia como resistir. Tentei pensar em outra coisa, mas ao tentar desviar meu olhar,  um carro passou veloz por mim e desequilibrei-me, no instante seguinte braços fortes me puxaram para cima. Quando seus olhos azuis cruzaram os meus, perdi o fôlego.
Cinco minutos depois estávamos no café, pois ele insistiu em me pagar um chá... Ahhh, que homem! Chamava-se Fernando e enquanto eu decidia se ia ou não embora ele começou a contar-me sua vida (ele era do interior e sua estadia em São Paulo seria curta), foi nessa hora em que (NÃO SEI POR QUE) eu me prontifiquei a apresentar a cidade a ele.
Parece burrice (não, é burrice) uma mulher solteira e sem ninguém à quem recorrer caso algo desse errado, sair sozinha com alguém a quem ela mal conhece, porém naquela tarde de domingo Fernando era tudo que eu mais queria, até porque meu coração ainda estava partido por conta de meu velho amor, e como diz o velho ditado: apenas um novo amor cura um velho amor. Pois bem, trocamos telefones e combinamos de estar ali por volta das 10h no dia seguinte (assim poderia passar o dia apresentando para ele a cidade linda que temos).
Fomos primeiro ao Museu da América Latina, passeamos, conversamos, tomamos um café fresquinho e seguimos rumo a qualquer lugar, pois antes de chegarmos ao carro Fernando me puxou, me beijou e me fez esquecer tudo e todos. Ali éramos só nós, sem o mundo lá fora e de repente o roteiro do dia - que eu tinha feito na noite anterior- se tornou banal, o som foi aumentando, o calor também e quando vi já estávamos em um hotel perto algum lugar.
Foi magnífico, foi perfeito... O amor que fizemos foi mágico, porque ele fez questão de me beijar em todas as partes disponíveis e eu o acariciei com a mesma paixão. Quando o amor já não era suficiente, como dois selvagens, fizemos sexo ao som de Maroon 5 (na TV passava o show deles).
Nos quatro dias seguintes em que Fernando esteve em São Paulo nos amamos, fomos amantes, fomos amigos e de certa forma almas gêmeas. Mostrei São Paulo a ele e em troca recebi carinho, atenção e beijos com sabor de maçã(ele adorava balas). Contudo, ele teve que ir embora para a Inglaterra (faria um curso de 6 meses lá) e eu fiquei.
Não nos falamos nem uma vez sequer e assim meu amor por ele acabou junto com o verão. Uma ótima coisa para mim, já que no semestre seguinte ele voltou casado da Inglaterra. Bom, ele não havia me contado, mas namorava pela internet há 2 anos e foi buscar a noiva na Inglaterra... Creio que por isto ele fazia amor tão bem: sabia que seu tempo com outras estaria no fim e eu caí como uma luva naquelas mãos.
Bom para mim! Bom para ele! Apenas nos falamos mais tarde quando ele me ligou para dizer que estaria de volta com a esposa e trocaria o número do celular.




quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Dica de música/vídeo



'Foi você quem falou quando ninguém ouvia
      Você não é tão pura como era
                 A vaidade a controla como uma marionete' ♪


Drake Bell - Terrific 

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

¬¬ Tentei


Estou aqui há quase uma hora e nada.. Nem uma história, nem uma canção, nem uma frase. 
Como posso escrever se as palavras tem sumido de meu pensamento?
Como prova de que voltarei a escrever mudei tudo neste blog, para ver se assim com uma nova imagem a me olhar as palavras fluem através de mim.. Dona bruxa, por favor traga-me histórias para que eu possa conta-las. *-*
Bom, fico por aqui.. Nem sei se alguém ainda me lê, mas estou aqui queridos leitores, não me abandonem e lembrem-se sempre de comentar ok? 
A aprendiz de escritora aqui, AGRADECE a visita de todos!

OBS: Hoje vou olhar o mar, quem sabe assim novas histórias vem me alegrar, Poseidon sempre é gentil, e sei que me alegrará!

Beijos :*